Estimulação Cognitiva

[metaslider id=81]

Porque sabemos que cada criança é única e possui os seus próprios ritmos, interesses, fragilidades e potencialidades, o GAIP desenvolve no âmbito da Estimulação Cognitiva na 1ª e 2ª Infância o PPED: Programa Pessoal de Estimulação e Desenvolvimento.

O PPED é desenvolvido em conjunto com a família – e outros profissionais, quando necessário – e deverá ser implementado no âmbito da rotina diária da criança, de forma lúdica e positiva.

Que tipo de jogos posso fazer com o meu/minha filho/a? Quais são os marcos de desenvolvimento para a idade dele/a? Como posso estimular a leitura desde cedo?

Se deseja perceber o funcionamento da Estimulação Cognitiva e de que forma poderá ajudar o/a seu/sua filho/a, entre em contacto connosco.

Estimulação Cognitiva na 1ª e 2ª Infância (ou Estimulação Precoce) tem por objetivo desenvolver e potencializar, através de jogos, exercícios, técnicas, atividades e outros recursos, as funções do cérebro do bebé e da criança, de modo a potencializar a sua capacidade de aprendizagem e de adaptação ao meio de uma forma mais direccionada e assertiva.

Não consiste em nenhuma terapia ou método formal de ensino, mas sim num meio de orientação de desenvolvimento em que os estímulos estão em consonância com os marcos de desenvolvimento na infância.

É possível fazer da estimulação uma metodologia integrada nas rotinas e no dia-a-dia dos pais/cuidadores e das crianças, para que seja um processo prazeroso, eficaz e divertido.

GAIP - Estimulação CognitivaDe acordo com a Organização Mundial de Saúde (WHO), a neuro-ciência comprova que as crianças devem atingir o seu estado aconselhável a nível físico, emocional, cognitivo e motor desde o momento em que nascem até aos 8 anos. Comprovou-se ainda que, em 2016, cerca de 43% das crianças não chegou a atingir estas etapas.

Durante a infância e até aos três anos de idade, as células cerebrais das crianças são rápidas a formar conexões e ligação com outras células, o que ajuda ao desenvolvimento cognitivo. Isto significa que estes estágios iniciais são o melhor momento para o desenvolvimento mental da criança e para estimular o desenvolvimento cognitivo futuro.

Nesta idade, uma única célula cerebral é capaz de se conectar a quase 14.000 outras células para formar padrões de comportamento. Entretanto, a flexibilidade do cérebro vai diminuindo conforme a idade vai avançando.

GAIP - Estimulação Cognitiva

Por isso, quanto mais cedo começar, maior o potencial para bons resultados.

A estimulação fraca ou inadequada leva à formação imprópria de conexões e desenvolvimento deficiente ou insuficiente do cérebro da criança, o que dificulta o seu desenvolvimento cognitivo pleno.

Hoje, é indiscutível o benefício que traz para qualquer criança, independentemente de sua condição física, intelectual ou emocional, um programa personalizado de estimulação cognitiva do nascimento até aos seis anos de idade, sendo benéfico também após esta idade.